1 – Que vantagem, pois, tem o judeu? ou qual a utilidade da circuncisão?

2 – Muita, em todo sentido; primeiramente, porque lhe foram confiados os oráculos de Deus.

3 – Pois quê? Se alguns foram infiéis, porventura a sua infidelidade anulará a fidelidade de Deus?

4 – De modo nenhum; antes seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, e venças quando fores julgado.

5 – E, se a nossa injustiça prova a justiça de Deus, que diremos? Acaso Deus, que castiga com ira, é injusto? {Falo como homem.}

6 – De modo nenhum; do contrário, como julgará Deus o mundo?

7 – Mas, se pela minha mentira abundou mais a verdade de Deus para sua glória, por que sou eu ainda julgado como pecador?

8 – E por que não dizemos: Façamos o mal para que venha o bem?-como alguns caluniosamente afirmam que dizemos; a condenação dos quais é justa.

9 – Pois quê? Somos melhores do que eles? De maneira nenhuma, pois já demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado;

10 – como está escrito: Não há justo, nem sequer um.

11 – Não há quem entenda; não há quem busque a Deus.

12 – Todos se extraviaram; juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.

13 – A sua garganta é um sepulcro aberto; com as suas línguas tratam enganosamente; peçonha de áspides está debaixo dos seus lábios;

14 – a sua boca está cheia de maldição e amargura.

15 – Os seus pés são ligeiros para derramar sangue.

16 – Nos seus caminhos há destruição e miséria;

17 – e não conheceram o caminho da paz.

18 – Não há temor de Deus diante dos seus olhos.

19 – Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que se cale toda boca e todo o mundo fique sujeito ao juízo de Deus;

20 – porquanto pelas obras da lei nenhum homem será justificado diante dele; pois o que vem pela lei é o pleno conhecimento do pecado.

21 – Mas agora, sem lei, tem-se manifestado a justiça de Deus, que é atestada pela lei e pelos profetas;

22 – isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos os que crêem; pois não há distinção.

23 – Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;

24 – sendo justificados gratuitamente pela sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus,

25 – ao qual Deus propôs como propiciação, pela fé, no seu sangue, para demonstração da sua justiça por ter ele na sua paciência, deixado de lado os delitos outrora cometidos;

26 – para demonstração da sua justiça neste tempo presente, para que ele seja justo e também justificador daquele que tem fé em Jesus.

27 – Onde está logo a jactância? Foi excluída. Por que lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.

28 – concluímos pois que o homem é justificado pela fé sem as obras da lei.

29 – É porventura Deus somente dos judeus? Não é também dos gentios? Também dos gentios, certamente,

30 – se é que Deus é um só, que pela fé há de justificar a circuncisão, e também por meio da fé a incircuncisão.

31 – Anulamos, pois, a lei pela fé? De modo nenhum; antes estabelecemos a lei.

Pin It on Pinterest

Share This